Des – Culpas

“A alegria é uma família de olhos,
  ossos e dentadas, que falam às gargalhadas
e chamam toda gente de irmãos,
pais e parentada.”

– Kelly Shimohiro –

sol sem sombra

Culpas, medos e defesas

vejo-os todos insuflados por aí.

Aqui, encheram-me… olhos, boca e corpo

de novo e novamente.

Virei metade da vida e ainda não sei lidar comigo:

fogo, voz, hormônios em desalinho, quietudes…

Sou outra e ainda a mesma, além de tantas mais, refletidas em espelhos

diversos…

Medos, culpas e defesas…

me comem e consomem devagar.

Quando não as minhas, as do meu irmão

defendido, desculpando-se pelo dito, pelo feito

mal feito, mal jeito, sorrio.

Desnecessário armar-se comigo

Prefiro nudez e te servir de abrigo,

não te acuso! Sem desculpas para culpas esculpidas na escuridão

Prefiro amar-te com diferenças, abismos e coração.

Ouso defender-te dos medos, das neuras, do desamor…

até sobrar apenas você… eu…

e afeto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s