A arte do [re]encontro

“ A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida…”

– Vinícius de Moraes –

Foi uma amiga que me solicitou essas linhas. Não sei se ela sabe, mas, dentro de mim, é uma das pessoas mais queridas que abrigo. Falamos pouco entre nós, mas tenho certeza de que nos reconhecemos. Pediu-me um escrito sobre encontros e eu pensei, na hora, que seria fácil escrever. Ledo engano!

A gente coleciona dias. Dias e lembranças…e o que sempre me chama atenção é que, não importa quanto um dia seja bom, as memórias tendem a ser dos sentidos. A gente se lembra muito mais do sorriso e do afago, do que da pessoa. A partir daí, vamos montando nossas memórias com os nomes e as faces do outro. Ornamos o outro com nossas percepções. Colocamos nele um colar de sapiência ou um adereço de alegria que talvez ele nem tenha, mas nós, em algum momento, fomos agraciados com aquela troca, num momento mágico.

Dia desses, estava contemplando o retrato natural que me envolvia, num universo paralelo feito de nada, quando me chegou um torpedo, vindo de longe… Fui lembrada lá em Rondônia, por uma alma que só toquei, mas nunca tive o prazer de abraçar. Naquele momento, em que eu desacreditava de mim, a alma amiga me resgatou. Veio com suas palavras sempre intensas e me retirou do limbo, com uma habilidade impossível de descrever. Essa minha alma amiga jamais saberá o bem imenso que me fez, ao enviar [tenho certeza de que foi por impulso] aquelas palavras deliciosas. É a arte do “reencontro” se manifestando através da sabedoria universal. Vai entender…[pra quê?]

Ainda nessa levada de encontros e reencontros, ocorrem também os desencontros. Acreditem!!! Alguns desencontros podem ser dádivas de vida. Vitais para sua energia particular. Sabe-se lá quantas vezes, aquele amigo “super alto astral” que você tanto adora, não ter sido encontrado no tempo desejado, pode ter sido mágica. Convenhamos que há pessoas tão ligadas ao seu próprio mantra da euforia que simplesmente não percebem o outro [que poderia ser você]. Há tempo para tudo, inclusive para se curtir um dia de superficialidades triviais no mundo do outro, que só tem ouvidos e vozes para si mesmo. Esses também são encontros válidos quando a gente precisa tirar umas férias dos nossos pensamentos. O riso e a ojeriza do amigo à qualquer coisa que não seja fantasia, às vezes, é libertador.

Agora, se eu puder deixar um lembrete, penso que é muito bom, para sua preservação, que somos mutantes. A gente muda o tempo todo, de ideia, de lugar, de humor e, em certos momentos, também de personalidade. Dito isso, é legal ter em mente que aquele amiguinho que você reencontrou, depois de quinze anos sem contato, pode não ter mais os adereços que você colocou nele quando se conheceram. A vida e a luta pelo vil metal são capazes de transformar pessoas que eram sensíveis em verdadeiros psicopatas do networking. Tem gente que, na vida adulta, só se interessa em fazer “contato” com quem possa lhe trazer algum tipo de benefício material. Direto ou indireto, através de seus contatos. Particularmente, tenho muito medo desses humanóides, mas se você já está blindado para esse tipo de amizade, parabéns! Vai fundo.

No fim das contas, todo encontro é válido para mexer na nossa caixinha de ideias adormecidas. O universo do outro é sempre uma floresta densa, pronta [ou não] a ser descoberta. Amigos, afetos e amores valem a visita. Os desencontros podem nos salvar de futuros desafetos, e isso também é motivo de festa, de regozijo.

Desejo a você, que consiga celebrar seus encontros, seus reencontros e seus desencontros, afinal… É arte, como já dizia o poetinha!

“Convivemos com réplica, tréplica, uma curiosidade infinita pelo avesso.” (Carpinejar)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s