Saciedade



Na água da tua existência
Sacio minha sede exagerada.

E quando meu ar dá de ficar viciado
No limbo – já vazio – do meu comodismo
É no ar, que respiro contigo,
Que me refaço.


Anúncios

Um comentário em “Saciedade

  1. No meio da festa pagã dos corpos entrelaçados
    Se amando, que nascem os poemas da pele…

    Fechamos os olhos e sentimos com a alma
    Aquilo que os olhos recusam a entender…

    Clau como é bom estar aqui, textos intensos, sem meias palavras.
    Adoro demais.

    Beijos
    Bom restinho de domingo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s