Pecado consentido

Senti no corpo hoje,

A remissiva do nosso pecado.
Do gosto do beijo,
À estrutura do corpo,
Tentativa perene
Do gozo.

Guardei na boca,
A satisfação do êxtase.
A súplica quente da pele,
Os versos íntimos do sexo.

A minha volúpia
Se enroscou na tua libido
Enquanto arranhava tuas costas
No auge do prazer
Sussurradamente consentido.

Trago nas costas marcas
De mordidas gostosas…
Prova indecente
Das trocas incandescentes
Do nosso melhor pecado.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s