Verdes

São pequenos esses olhos
Que me fascinam
Olhos que me engolem
Quando deitam em mim

São profundos esses olhos
Labirintos onde me perco
Olhos de perigo
Que me pedem abrigo

Esses olhos de gato
Permeiam meu pensamento
Grudam na memória
São quase um tormento

São inquietos esses olhos
Que gritam comigo
Olhos de menino vadio
De homem vivido
Querendo meu colo

São ternos esses olhos
Risonhos que me ouvem
Amorosos que me olham
Intensos que me sentem

São quentes esses olhos frios
Indiferentes no cotidiano
Pedintes no cio.

São meus esses olhos lindos
Que me olham do alto
Quando estão contigo.

Anúncios

Um comentário em “Verdes

  1. Olhos que perseguem e são perseguidos. Olhos que vão, olhos que veem, olhos que se encontram…Olhos de quem madruga…Olhos de quem outras lágrimas enxuga, enquanto chora a própria alegria de olhar e entender o que os outros olhos dizem…
    Porque o olhar fala mais que palavras. O olhar é a própria palavra em forma de energia reverberante. E os olhos são a matéria-prima desse olhar que invade e é invadido, que consome e é consumido, que faz fogo e se queima na paixão eternamente acesa…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s