Onde vivem os monstros?

   Ciúme, agressividade, sabotagens, tristezas profundas, baixa estima… Monstros.

   São monstros enormes em determinados momentos de nossas vidas, monstros internos, feios, verdadeiros vilões que nos derrotam, nos fazem querer detonar o mundo, fugir de nós mesmos… Quando nos dominam, não os vemos, colocamo-os nos outros, apontamos erros e falhas alheios, mas nunca em nós mesmos…Nos rebelamos contra tudo, nos armamos contra todos, ferimos o outro numa espécie de auto agressão..

   Aprendi com a vida que ao agredir, nos sentimos frágeis, estamos internamente magoados. Não há agressão gratuita do ponto de vista psicológico. Dentro de nós, estamos apenas “devolvendo” o que, em algum momento da vida recebemos, daquelas pessoas, ou de outras quaisquer pelas quais nos permitimos ser magoados.

   Há uma estória de criança (não para crianças) que fala disso: “Onde vivem os monstros?”. É um filme basicamente linear, não necessariamente fácil de entender, mas bem gostoso, profundo. Qualquer adulto que lembre das suas tristezas de criança, se reconhecerá nele. Pior…reconhecerá seus monstros, perceberá o quanto fazemos de alguns desses monstros, nossos “amigos”, velhos conhecidos que parecem nos proteger do que nos feriu, ou do que ainda é passível de nos ferir.

    Tem uma passagem, entre muitas, na estória, com a qual, particularmente me identifiquei. O menino vira pro monstro mais amoroso (e também o mais agressivo) e diz: “Eu te amo tanto, que quero te dar uma mordida” . É, pra mim, um ser completamente bruto na forma de dar carinhos e, apaixonada por mordidinhas desde criança, um momento emocionante. Trata-se de uma pessoa encarando seu lado agressivo como algo tremendamente amoroso…surreal, forte…Tantas vezes quantas eu assista ao filme, me apaixono pela a cena, me enxergo ali. Fiz as pazes comigo mesma e voltei ao auto conhecimento com muito mais carinho depois de ver ali, não só a mim mesma, como algumas das pessoas que mais amo na vida. Fiz as pazes com tudo que não consigo entender em mim e no outro…Pela dor, pela fuga, pelo emocional sempre inteiro, revisito meus monstros…quero-os próximos e visíveis…só assim, eles não me farão mal…

   Os monstros existem e, sem nenhuma sombra de dúvida, habitam dentro de nós.

Anúncios

3 comentários em “Onde vivem os monstros?

  1. Texto incrível…cada vez mais admiro vc Amiga.Vc escreve com o coração.Sou assim tb e acabo me identificando muito.rsrs.Continue com essa sensibilidade à flor da pele.E obrigada por nos presentear com textos tão verdadeiros…bjo

    Curtir

  2. Ah! Existe um reizinho que não se adapta a sua vida real, no mundo do faz de conta os monstros tem a impressão que ele é perfeito, mas aos poucos a “perfeição” e a paixão pelo reizinho vai diminuindo. Não existe nada e ninguém perfeito. temos qualidades e defeitos dentro de todos nós, tudo depende da forma que é conhecida e exteriorizada, tudo depende do ângulo que é visto e interpretado. Acredito que o que vale mesmo é saber lhe dar com defeitos e qualidades tanto nossas como do outro!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s