"Céu de Brasília traço do arquiteto…gosto tanto dela assim…"

Brasília não é uma cidade. É um cenário suspenso no ar. As pessoas não são – estão. Do nordeste, do sul, do sudeste, de Marte, da Confraria da Deusa-Mãe, do outro lado da vida, da Rússia, da Noruega, candangos ou malandros.

Quando passava por lá, nos idos de anos passados, achava tudo perfeito, até o fake. Queria ser enterrada em frente ao Memorial JK. Todo meu impossível era viável na métrica Brasiliense.

Hoje quando volto, não guento mais do que uma reunião profissional de meia-hora. Quero sair e ver o céu…ainda sou apaixonada por aquele lugar organizado, pela concretude e, principalmente pelo céu que é único…liiiinnnddddoooo.

Tenho a impressão de que a quiche do Café Savana é o único “bom negócio” que consigo realizar na cidade.

“Mas é doce morrer neste mar /De lembrar e nunca esquecer /Se eu tivesse mais alma pra dar /Eu daria, isto pra mim é viver…”
Anúncios

Um comentário em “"Céu de Brasília traço do arquiteto…gosto tanto dela assim…"

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s